Publicidade

Retrospectiva: Tudo que aconteceu no cenário político piripiriense em 2017

Categoria: Geral
Criado em Terça, 02 Janeiro 2018 12:00
Escrito por Redação

Os principais fatos e acontecimentos

Retrospectiva.jpg

Piripiri começou o ano de 2017 sob nova administração que trazia a falsa promessa de reconstrução. No entanto, logo nos primeiros dias do ano já se percebia que a tal reconstrução não passaria de falácias.

O que se viu em janeiro foi um verdadeiro leilão de vereadores que saíram da base oposicionista em troca de cargos e salários para apoiar o gestor que ora entrava, pela quinta vez, no comando de Piripiri.

Com isso se iniciava um ano tenebroso na história da cidade, jamais visto pelos munícipes.

O ano foi marcado por protestos em frente à prefeitura, onde moradores do Antonia Flor pediam o desembargo do Residencial.

Muitas ameaças de protestos e paralizações foram desencadeadas durante todo o ano, pelos servidores municipais.

A Educação Municipal de Piripiri entrou em colápso total. Colégios foram fechados, pais chorando por vagas em escolas do município, crianças sem acesso à escolas que foram fechadas, discentes sem ônibus escolar para transportá-los, merenda escolar à base de suco e biscoito de água e sal, enfim, uma nuvem pesada pairou sobre a educação de Piripiri.

Professores foram enganados pelo gestor que, em campanha, falava em valorizar e respeitar os servidores da educação. Porém, ao assumir a prefeitura, não deu aos docentes o piso salarial equivalente ao nacional, salários atrasados e abonos sem serem repassados foi o que marcou a gestão 2017 do prefeito.

A Saúde do Município está no necrotério, quase nada funciona. Os Postos de Saúde do Município estão sem atendimento pleno, falta quase tudo. Dentistas denunciaram durante o ano, que, os consultórios dentários não tinham sequer luvas para procedimentos, os compressores em estado de precariedade, as vacinas armazenadas inadequadamente, além do sofrimento da população para conseguir uma consulta, um exame ou mesmo um remédio na Farmácia do Município, tornando-se uma missão impossível durante este ano que se finda.

O centro da cidade sofre com a falta de revitalização da malha asfáltica, sinalização horizontal e vertical, além da precariedade na limpeza urbana com ruas e avenidas tomadas pelo mato e pelo "breu".

Os bairros periféricos da cidade todos abandonados. Iluminação pública às escuras, calçamentos cheios de crateras, o carro coletor do lixo é algo raro ver por lá.

Na zona rural a população está se "virando" como pode. Exemplo disso foi que, em agosto, os moradores do povoado Olho D'Água Grande, sentindo a necessidade de uma ponte, resolveram construir o acesso por conta própria, com dinheiro arrecadado a partir de doações de filhos da terra que moram em outros Estados. Isso é mais uma imagem da falta do Poder Público Municipal, na zona rural de nossa cidade, que também sofre com a falta de abastecimento de água potável, além de terem colégios e postos de saúde fechados.

Os escâdalos no governo municipal:

Além de tudo isso, não podemos deixar de citar os conflitos internos da gestão que marcaram o governo municipal durante este ano.

Em áudio vazado no mês de maio, o assessor de comunicação da PMP, Denes Brito, dispara contra o vice-prefeito:

"Murieel, você tá de chilique, deixa de ser bobo, infantil.. deixa de fazer figuração em rede social, coisa chata, deixa de ser criança!". Esse é apenas um trecho da discussão entre os dois.

E vários foram os conflitos e escândalos durante o ano de 2017. Tudo pelo poder.

Troca-troca de secretários para agradar apaniguados foi o que mais marcou os desentendimentos dentro do grupo do prefeito.

O secretário de saúde foi trocado e ainda acusado de deixar rombo nas finanças da pasta, tornando-se uma situação delicada para o gestor resolver.

Enfim, o que pudemos ver na gestão do prefeito em 2017 foi um show de amadorismo e atrapalhadas. Foi descaso com a população e com o dinheiro público.

Vários contratos com cifras milionárias foram fechados com empresas de Teresina, deixando de circular dinheiro em nossa cidade.

Municípes e pequenos empresários foram esquecidos pelo prefeito e sua gestão.