Publicidade

Vigias e serviços gerais desmentem o prefeito e o secretário de saúde de Piripiri

Categoria: Geral
Criado em Quarta, 08 Novembro 2017 17:02
Escrito por Redação

"Tudo não passa de maquiagem tosca", afirmou um vigia

notaA.jpg
A redação do Veja Piripiri recebeu na tarde desta quarta-feira, 08, um grupo de vigias e trabalhadores de serviços gerais da saúde municipal de Piripiri.

Os servidores públicos municipais contestam a nota emitida pelo secretário municipal de saúde, onde ele afirma ter pago todos os servidores da pasta.

Refutando as afirmativas do secretário e do prefeito, onde a nota emitida fala que o executivo municipal havia colocado como meta normalizar a saúde até o fim do ano e já em novembro conseguiu normalizar todos os salários, os servidores afirmam ser metira tanto do secretário como do prefeito. Pois segundo os trabalhadores, essa nota não passa de uma maquiagem para tenta ludibriar a população, que por sinal sofre com a ausência da efetividade da saúde municipal.

Os servidores afirmam que seus salários estão em atraso, a afirmação se basea a lei orgânica do município que determina que o gestor tem que pagar os funcionário até o dia 05 de cada mês.

A categoria dos vigias também reclama que o prefeito reduziu do adicional noturno R$ 78,00, além de não pagar o adicional de risco de vida, prevista na Lei Orgânica do Município, artigo 81.

Já os trabalhadores de serviços gerais também denunciam o corte do adicional de insalubridade.

Eles lamentam os cortes que vêm sofrendo em seus direitos trabalhistas.
"Pelo que se percebe, o secretário e o prefeito só veem como servidor da saúde, os médicos e enfermeiros. Sabemos que são profissionais importantes e não temos nada contra, são pessoas que também merecem terem seus direitos respeitados, como todos nós, mas, nós também fazemos parte da equipe, e trabalhamos juntos para atender a população da melhor forma possível", disse um dos servidores.

Plano de Cargo, salários e carreira:

Segundo os trabalhadores, os vigias, auxiliares de serviços gerais e motoristas da saúde foram excluídos do plano que a saúde fez.

"Quer dizer que não somos funcionários?", questionam os servidores.

"Temos os mesmo direitos, mesmo sabendo que nossa porcentagem seja menor, mas é um direito e queremos a efetivação desse direito", falou outro.

"Nós somos funcionários e concursados. Não estamos pedindo favor, não somos apadrinhados, nós estudamos e passamos num concurso", frisou outro servidor.

Salários atrasados:

Os servidores fazem questão de pedi que batamos na recla dos salários atrasados. Eles pedem que o prefeito e o secretário sejam compromissados com os funcionários públicos, que paguem em dia e não apenas emitam notas tentando enganar a população.

Eles também pedem uma ação mais enérgica do SINDSEMPI - Sindicato dos Servidores Públicos Efetivos dos Municípios do Norte do Piauí, que lutem pelos direitos dos servidores e exijam da prefeitura a atualização e regularidade dos pagamentos de todos.